In Memoriam Jean Pierre Cueto

“May the divine vidyādharas think of me
and with great love lead me on the path.
When through intense tendencies I wander in samsāra,
on the luminous light-path of the innate wisdom, may
vidyādharas and warriors go before me,
help me to cross the bardo’s dangerous pathway
and bring me to the Pure Realm of Space.”

THE TIBETAN BOOK OF THE DEAD ―The Great Liberation through Hearing in the Bardo

bardo-todol

As tradições espirituais do Oriente afirmam que tudo é sofrimento e que tudo é passageiro (sarvam dukham, sarvam anityam), ou seja, a temporalidade de qualquer existência humana engendra fatalmente a angústia e a dor, pelo que é com um sentimento de profunda tristeza e uma enorme consternação que nos recordamos de Jean Pierre Cueto. Alma nobre e gentil, inexcedível na sua elegância de trato inigualável.
A memória da sua presença entre nós será evocada numa missa de Réquiem, a ser oficiada na próxima Quarta-Feira, dia 25 de Janeiro, às 18:00h, na Igreja de Santo Ildefonso (Praça da Batalha, Porto). Convidam-se todos os seus colegas, professores e amigos a estarem presentes nesta última homenagem.

Júlio Mendes Rodrigo & Ana Carvalho

may-the-gods-bless-thee

May the Gods Bless Thee