Bibliofilia # 22 “Sincronicidade”

“The concept of synchronicity indicates a meaningful coincidence of two or more events, where something other than the probability of chance is involved. Chance is a statistical concept which ‘explains’ deviations within certain patterns of probability. Synchronicity elucidates meaningful arrangements and coincidence which somehow go beyond the calculations of probability. Pre-cognition, clairvoyance, telepathy, etc. are phenomena which are inexplicable through chance, but become empirically intelligible through the employment of the principle of synchronicity, which suggests a kind of harmony at work in the interrelation of both psychic and physical events.”

The Journal of Religious Thought

22-sincronicidade-jung

“Sincronicidade”, de C.G. Jung, Vozes, 1ª Edição, 1984. Tradução de PE. Dom Mateus Ramalho Rocha, OSB. Título original, “Die Dynamik des Unbewussten”.

Eis um livrinho  adquirido por mim  em Dezembro de 2012 (uma edição Bollingen Series / Princeton University Press, encontrada num alfarrabista de Nova Iorque), mas só agora lido na edição brasileira da editora Vozes.
Sincronicidade: um princípio de conexões acausais que versa sobre factos determinados pelos instintos ou pelos arquétipos e que não podem ser compreendidos mediante o princípio da causalidade. Ou seja, as coincidências significativas cuja hipótese Jung já avançava timidamente nos anos 1920, mas cuja formulação apenas ousou assumir em 1951, num dos prestigiadíssimos encontros Eranos. No ano seguinte, em 1952, já com 77 anos de idade, Jung, publica esta monografia, num volume que inclui um estudo da mesma temática por parte do físico Wolfgang Pauli (Prémio Nobel da Física).
Ao longo da minha vida, ainda que com algumas intermitências, tenho sido acometido por imensas coincidências significativas, o que me leva a pensar que a leitura desta obra apenas pecou por ser tardia.

Banda sonora ideal para acompanhar a leitura: Robert Schröder, “Harmonic Ascendant” (1979).