Bibliofilia # 9 “A Revolução Electrónica”

“The word has not been recognized as a virus because it has achieved a state of stable symbiosis with the host.”

William S. Burroughs, The Electronic Revolution

09-electronic-revolution

“A Revolução Electrónica”, de William Burroughs, Vega, 2003. Tradução de Maria Leonor Teles e José Augusto Mourão. Título original, “The Electronic Revolution”.
Eis um livro que dispensa grandes apresentações. Depois de já o ter lido na sua versão original em inglês, bem como numa tradução francesa, deparei-me muito recentemente com a possibilidade de efectuar a sua leitura no meu idioma materno. A versão portuguesa, partilhada por Maria Leonor Teles e José Augusto Mourão (o frade dominicano responsável pela introdução da Semiótica em Portugal, falecido em 2011), acaba por espelhar a intelectualidade disruptiva deste último.
Neste ensaio fundamental, como é do conhecimento geral, Burroughs desenvolve a teoria de que a “linguagem é um vírus” e de que a palavra falada tal como a conhecemos apareceu somente após a palavra escrita. Uma tese certamente ousada, e um texto canónico no âmbito da subcultura da música industrial. Para ler e reler!