Heidegger dixit!

«A cada hora e a cada dia estão presos à rádio e à televisão. O cinema transporta-os semanalmente para os domínios invulgares, frequentemente vulgares, da representação que simula um mundo que não o é».

[Martin Heidegger, a 30 de Outubro de 1955, em Messkirch, num discurso pronunciado aquando da celebração do 175º aniversário do nascimento do compositor Conradin Kreutzer, reflectia sobre a SERENIDADE (ou a sua ausência), evocando o automatismo vegetativo que se apoderou dos seus compatriotas.]

Rene Boyvin Chaste Suzanne

La chaste Suzanne d’après Le Rosso, René BOYVIN