MMXV em retrospectiva

2015 foi um ano bastante preenchido naquilo que reporta ao desenvolvimento das minhas actividades.
Na verdade, 2015 iniciou-se de forma bastante auspiciosa, logo em Janeiro, através do lançamento de duas colectâneas musicais (“The Golden Bough” e “From Ritual to Romance”), editadas no âmbito da celebração do sexto aniversário do Die Elektrischen Vorspiele: [EdP070] “The Golden Bough” (Albrecht Loops, AugenCotton Ferox ocp – operador de cabine polivalente , Stealing Orchestra , Iurta,  f a n t a s m a Two White Monsters Around a Round Table). [EdP071] “From Ritual to Romance” (Angélica V. Salvi, João Pais Filipe, KanukanakinaAC//HHYNova Orquestra Futurista do PortoHystericalOneManOrchestraEvil Schmidt Terra Oca Sturqen, Thee UM Rev Al L Aguero,Walt Thisney Marc Hurtado Val Denham (with Farmacia), Harpoemacto).
Esta iniciativa que contou com a cumplicidade da EdP- Editora do Porto (netlabel administrada pelo amigo João Ricardo) teve inclusive direito a uma sessão pública de apresentação integrada no DJ Set de Phantasma + Lynce, efectuada no Café au Lait, no Porto.
No dia 31 deste mês, a ANDRÓMEDA – Agenciamento & Produção agenciou também o concerto de Sturqen no ciclo de programação UNDERSTAGE, no Rivoli.
No mês seguinte, entre os dias 07 a 15 de Fevereiro, rumei ao Alentejo, para desenvolver uma residência artística, em conjunto com a Oficina Arara. “LOCUS SACER – Ritualização re-mitificada para o século XXI” – assim se intitulou a proposta – foi desenvolvida no Alandroal (Moinho da Fonte Santa), nas cercanias do templo votado ao deus Endovélico.
No mês de Março dei a início a um ciclo de programação musical, em conjunto com o André Fonseca. Refiro-me à iniciativa “A Memória Inconsciente das Formas Transfiguradas”, que se desenrolou entre o antigo espaço do atelier Rua do Sol 172 e o CCOP – Círculo Católico de Operários do Porto. Com um total de seis sessões, esta iniciativa prolongou-se até Julho e contou com a participação dos seguintes artistas: Iurta (28 de Março), Steve Hubback, João Pais Filipe, Angélica Salvi + Rui Leal e Paulo Mesquita (19 de Abril), Alessandra Rombolá, Miguel Pipa e Ana Carvalho (21 de Maio), Lull Media (07 de Junho), Neil Leonard e Ana Carvalho (21 de Junho) e Rita Braga + Martha Colburn, com Filipe Silva e Jean-Baptiste Bayle (05 de Julho).
Ainda em Julho, no dia 31, produzi, em conjunto com o André Fonseca, o concerto de Golden Diskó Ship, (aliás Theresa Stroetges).
Em Maio produzi, conjuntamente com os Maus Hábitos – Espaço de Intervenção Cultural (através da mediação da Carmo Osul e do Luís Salgado), a Semana ANDRÓMEDA. Assim, entre os dias 6, 7, 8 e 9 de Maio, a ANDRÓMEDA apresentou-se à sua cidade, o Porto. Esta iniciativa contou com a colaboração da Oficina ARARA, da Sofia Ponte, do Armando Sanches, da Isabel Carvalho, do Pedro Rocha, do André Fonseca bem como, obviamente, de todo o leque de artistas que integram a Andrómeda (EARTHQUAKE DETECTOR, HARPOEMACTO, HHY, H.O.M.O., OCP, PAISAGES INVISIBLES, STURQEN, VIVO).
Ainda neste mês de Maio, foi publicado o meu artigo “O Esquecimento do Homem e a Honra aos Deuses – uma apologia da desigualdade”, no oitavo número da revista Finis Mundi.
No dia 13 de Julho foi publicado o meu artigo “A different approach to surface manifestations on the Web 2.0 – the example of ac2012.com, based on the ideology of Aleister Crowley”, através da LAP LAMBERT Academic Publishing. Este texto foi um dos seleccionados para integrar a publicação dos trabalhos da Conferência Internacional “Intercultural Exchanges in the Age of Globalization, iniciativa realizada no âmbito da celebração dos 45 anos de actividade da Universidade Lucian Blaga (Roménia) em que eu participei no dia 16 de Maio de 2014, ao apresentar a minha comunicação integrada no painel “Media and Communication Studies”. A publicação dos trabalhos seleccionados foi coordenada pelo Prof. Doutor Gheorghe Manolache.
No dia 18 de Julho foi apresentada uma leitura pública do meu texto “A Lira Redentora de NERO”. A leitura, efectuada por Nuno Marques Pinto, foi parte integrante da iniciativa “À espera de um Milagre”, realizada na RODA Casa Atelier, no Porto. Este texto, ilustrado por Sandra Roda, foi publicado nos cadernos das edições RODA Casa Atelier.
Em Setembro, no dia 12, em conjunto com o André Fonseca, apresentei a instalação / performance “Sacrum Fulgor”, na Sé Catedral de Braga (Depósito Arqueológico), no âmbito da iniciativa Noite Branca Braga 2015.
Ainda neste mês, no dia 20, apresentei a leitura / performance “The ANDROMEDA Splinter – a mythical conspiracy”, com os apoios cúmplices da Ana Carvalho (no vídeo) e do Nigel Ayers (Nocturnal Emissions), na música. Esta leitura, efectuada no Hard Club, integrou o Amplifest 2015, que contou com a participação de William Bassinki e Stephen O’Malley, entre muitos outros.
Em Novembro redigi o texto “NATURA FLUXUS ― a imanência da MATÉRIA [perpetuamente] ANIMAda” para e exposição “Repositório Natural”, de André Fonseca.
Já na recta final deste ano, no dia 12 de Dezembro, a convite do Diogo Tudela, integrei a sessão de encerramento do projecto ACOUSMATICS / MATHEMATICS (uma série de podcasts registados ao vivo com o objectivo de mapear a cena musical independente da cidade do Porto). Esta sessão realizou-se no Passos Manuel.
Ao longo deste ano desenvolvi ainda ininterruptamente a minha actividade de radialista, no âmbito da produção e apresentação do programa “O Arranca Corações”, emitido semanalmente na Rádio NFM. Nesse sentido efectuei a cobertura do Festival Gótico Entremuralhas, nos dias 27, 28 e 29 de Agosto, realizado no Castelo de Leiria (uma iniciativa da FADE IN – Associação de Acção Cultural. Aproveitei esta oportunidade para entrevistar Carlos Matos (Ode Filípica e Broto Verbo), Rui Miguel Pedrosa, Laurent Nausea, mas também a banda eslovena Laibach e os britânicos And Also The Trees. Ainda no decurso de 2015 entrevistei para “O Arranca Corações” os seguintes artistas: Miguel Carneiro (Oficina Arara), os DJs Phantasma e Lynce (Pedro Centeno e Pedro Salvado Santos), Rui Torres (prof. Univ. e poeta, administrador do POeX – Arquivo Digital da Poesia Experimental Portuguesa), André Fonseca, Dino (aka The Strange Algorithm Series), Luís Fernandes (The Astroboy), Florian Hecker (músico alemão), Robin Mackay (filósofo, director da Urbanomic, uma editora e organização artística britânica. Editor de Collapse: Journal of Philosophical Research and Development), Pedro Augusto (aka Ghuna X), Miguel T (proprietário da loja de discos Piranha), e Rita Braga.
Entrevistei ainda, para uma nova rúbrica deste blogue (11.), os FARMACIA, uma fantástica banda argentina composta pelos irmãos Diego e Ariel Sima.
Posso adiantar que já se encontram na forja novos projectos para o próximo ano de 2016. A série “A Memória Inconsciente das Formas Transfiguradas” irá ser retomada já no próximo mês de Janeiro. Em breve procederei à divulgação da programação definida até ao mês de Março. Para além disso, encontro-me a trabalhar na organização de dois ciclos de Cinema, que prometem “abanar” a cena underground da cidade do Porto (mais informações serão divulgados em tempo próprio).
Resta-me ainda deixar aqui duas notas:
Como sempre, estou disponível para colaborar em novos projectos (mediante o meu tempo e disponibilidade, claro). Não sou muito esquisito, nem exigente. Satisfaço-me com pouco: profissionalismo, honestidade, seriedade e simpatia, são mais que suficientes.
A ANDRÓMEDA – Agenciamento & Produção possui um leque incrível de artistas (Senhores/as programadores/as culturais, deste país, por favor, não hesitem em contactar-me para a solicitação de mais informações . Os “Pedros Abrunhosas” e outros nomes de igual gabarito, não são os únicos artistas que existem em Portugal).
Por último, quero endossar aqui um enorme agradecimento a todos aqueles que de forma directa ou indirecta colaboraram comigo no decurso deste ano. GRATIA!

François Louis Schmied A Trace of Fire Trails Behind Him Illustrations for Johann Wolfgang von Goethes Faust 1938

“A Trace of Fire Trails Behind Him”, Illustrations for Johann Wolfgang von Goethe’s “Faust” (1938) by François-Louis Schmied