Yourcenar dixit!

«Um jardineiro faz-me notar que é no Outono que vemos a verdadeira cor das árvores. Na Primavera, a abundância de clorofila veste-as todas com uma libré verde. Chegado Setembro, elas mostram-se cobertas das suas cores próprias, a bétula loira ou dourada, o bordo amarelo-laranja-vermelho, o carvalho cor de bronze e ferro.»

Excerto de “Escrito Num Jardim”, capítulo da obra “O Tempo, esse grande Escultor”, de Marguerite Yourcenar

Marguerite Yourcenar