“Taedium Vitae”

Nos anos lectivos de 1988/1989 e 1989/1990 (em que ainda vigorava o C antes do T), frequentei as aulas de Língua Alemã. Sim, pois que isto de se cultivar uma certa aura brumosa apenas em torno das paisagens industriais de Manchester seria por demais enfadonho. E é nesta palavra, ENFADO, que desejo reter, ainda que por breves instantes, o meu pensamento.
Para meu espanto, à época (claro,dado que actualmente me desassossego com muito pouco!… Se calhar fico um pouco admirado por termos um antigo maoista [Durão Barroso] a apresentar o livro de um cidadão [Relvas] com os Estudos Secundários, mas que “forjou” uma Licenciatura. E, em último caso, fico pasmado pelo facto dos aplausos remeterem para um Primeiro-Ministro [Coelho] que “endrominou “ a SS, vulgo, Segurança Social – e não os “malfadados” alemães das SS), constatei que em alemão, o artigo indefinido “das”, é isso mesmo, ou seja, INDEFINIDO.
Indefinidas (ou quase) no entanto, são as palavras “estojo” e “tédio”, respectivamente. Sim, dado que a prosápia alemã não contempla, no seu uso quotidiano, pelo menos, estas palavras numa vertente etimologicamente autóctone. Foi antes “roubá-las” à língua de Bonaparte (MINTO, pois que o rapaz era Corso, justiça lhe seja feita, apesar de ter sido diminuído por um ancião aspirante a filósofo [Eduardo Lourenço], quando o comparou a um treinador de futebol…mas, hoje, é o dia em que se transladam cadáveres de jogadores para o Panteão, não é?). Ok! Já percebi, chega de parêntesis?! (). Certo!
Então é assim: “das Etui”, em alemão, roubado do francês significa ESTOJO. E eu ainda guardo um com muito carinho. Foi-me oferecido pelo falecido senhor meu pai, em inícios dos anos dos anos 1980. Trouxe-o consigo da Alemanha, a mesma Mátria (Ó saudosa Natália Correia, ainda bem que não viveste para ver o teu sócio Socialista na pildra [Sócrates] – para usar o seu léxico alquímico-ardina) da palavra “Ennui”, ou melhor “das Ennui”.
O meu estojo, no entanto, é verde fluorescente. Já dei aulas e já trabalhei em empresas, sempre acompanhado do mesmo. Apetrecho que, para mim, pelo menos, sempre esteve à frente do seu Tempo. Para meu espanto, no entanto, passou sempre despercebido. Ao contrário do meu corte de cabelo ou das opções estilísticas na indumentária…
Pois bem, mas, aquilo que nunca fica indiferente é o ENFADO.
Enfado, poderia ser apenas o Destino daquele/la. Mas não! É apenas sinónimo de aborrecimento. Os alemães (que são sempre sábios) chamam-lhe, tal e qual como os franceses, “das Ennui”. E este é apenas, e só, o aborrecimento mortal. Em tons de cinza (e não de azul, como o do Bataille, ou do Jarman,  ou o da vocalista dos Rádio Macau).
É o “taedium vitae”, o fastio de se estar consigo próprio, de se estar com alguém…

Etui

Jean Morin (after Philippe de Champaigne), “Still Life with Skull, Pocket Watch, and Roses” (Memento Mori), 1640–1650.