Alex Sanders, BELTANE e os Psychic TV

sanders

Cumprem-se hoje os 27 anos da morte de Alex Sanders, o proclamado “Rei das Bruxas”. Curiosamente (ou não!), o seu “passamento” aconteceu em 30 de Abril (o mês mais cruel…), cuja noite (como sabeis) é celebrada desde tempos imemoriais pelo facto de se estreitarem as fronteiras entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos (um pouco à la “Fringe”, se é que em faço entender). De acordo com a tradição, nesse curto hiato temporal, é permitido que os mortos regressem à dimensão dos vivos. Também conhecida por ser uma noite de libertação e terror (a morte de Hitler aconteceu nesta mesma noite, em 1945), este é também um momento em que o mundo é virado do avesso, e em que, de forma temporária, senhores e servos podem trocar de lugar (vide o tema “Master and Servant” dos Depeche Mode
Em 1988, na Noite de Walpurgis (30 Abril), os Psychic TV de Genesis P. Orridge (mesmo antes de se dedicarem à demanda da “batida infinita” através das sonoridades acid house), num concerto efectuado no Astoria Theatre, Tottenham Court Road, em Londres, evocaram a figura ímpar de Sanders (falecido nesse dia), dedicando-lhe o tema “Beltane”. Este concerto foi editado posteriormente com a designação “Live At Thee Circus”, cuja imagem da capa, da autoria de Val Denham, representava o demónio/anjo da Pandrogenia.
Alex Sanders já morreu e os  Psychic TV agora só cantam la la li la la li
“But the war goes on…” Fiquemos, portanto, já de seguida com o momento de homenagem a Alex Sanders.

Happy Beltane!