“Seguir as Luzes Verdes”

“Seguir as luzes verdes” / “following the green lights” de Isabel Carvalho, é o resultado de um ano de trabalho que a artista desenvolveu a convite do ARTES, programa de arte contemporânea da Fundação Manuel António da Mota, sobre Aurélia de Sousa – “uma homenagem, de uma artista a outra, sem qualquer propósito de forçar proximidades/afinidades, mas sim de assumir um espaço de encontro – a obra.”
Tendo como base a palestra “Sonhos” de Henri Bergson (1901), Isabel Carvalho apresenta no espaço ARTES uma nova criação, que parte de uma constelação de elementos que se interrelacionam poeticamente: as cores, os espaços e o tempo representados nas pinturas “No estúdio” e “Santo António” de Aurélia de Sousa, e as luzes do espaço aberto da cidade na nossa contemporaneidade. Chamando a si a responsabilidade de abordar a obra de Aurélia de Sousa com o propósito de a libertar e de desejavelmente a abrir ao presente, Isabel Carvalho propõe um corte, que toma como modelo o efeito disruptivo proporcionado pelo sonho e pelo acto de sonhar. Um corte que não representa uma completa ruptura, mas que deve antes ser visto como uma potência criativa

Informações mais detalhadas podem ser obtidas através da página FB, AQUI.

Seguir as Luzes Verdes