Robigalia

(…) April is the cruellest month, breeding
Lilacs out of the dead land, mixing
Memory and desire, stirring
Dull roots with spring rain (…)

Excerpt from “The Burial of the Dead” (“The Waste Land” by T. S. Eliot)

mensis aprilisExistem imensas formas de se comemorar Abril. Para mim, que me cabe levar avante a minha existência num território que não é um país, mas sim um sítio e ainda por cima, muito mal frequentado, ocorre-me celebrar este dia 25 de Abril através da evocação das festas agrárias romanas, cujos ecos ainda são visíveis hoje nalgumas tradições europeias.
“Feriae Robigalium” ou “Robigalia”era a festa das espigas, celebrada neste dia 25 do quarto mês do ano, que evocava a protecção do génio agrário Robigus contra a ferrugem do trigo, posteriormente transformada por S. Gregório O Grande na procissão das rogações.
Permitam-me que passe a explanar o motivo de tão inusitada celebração. No decurso desta semana, para minha total estupefacção, assisti a uma manifestação reveladora da consciência “ideológica” de algumas das plataformas políticas (senão todas) que se encontram legitimadas neste recanto à beira-mar plantado:
Então, não é que, uma central sindical, num daqueles discursos gravados em “K7” e utilizados em loop ad nauseam (e causadores de náuseas) lançava impropérios contra o actual governo? Até aí tudo bem, acho eu. Mas, para rematar a minha explanação, eis que vos conto o motivo da minha incredulidade: estes senhores convidavam os transeuntes a manifestarem-me, no dia de hoje, contra as políticas do actual governo, para tal, prometiam “lançar balões” e ainda…”muita animação”.
Então, não era suposto manifestarem descontentamento? Vão antecipar é o dia da Criança, através do lançamento de balões? Estes senhores não tiveram formações “internas” com os seus antigos camaradas da ex-R.D.A ou de outros países que estiveram debaixo do jugo soviético?
E agora sou eu – que com certeza reflicto os pensamentos de muitos – a rogar a numinosa protecção de uma obscura divindade pagã contra o “enferrujamento” da “Democracia” lusitana.

Departamento de Agitação e Propaganda do Die Elektrischen Vorspiele.