Orbis et Globus: Um novo ponto de referência do Circulo Árctico na ilha de Grímsey

«According to calculation it’s location shifts, on average, 14.5m annually due to the earth’s axial tilt and is now at 66° 33.9 N. Each spring the sphere is rolled to the corrected latitude in a generally northward direction until 2047 when the Arctic Circle will no longer cross the island. The movement of the Arctic Circle is either northwards or southwards depending on the fluctuations of the axial tilt cycle and that results in a laboriously slow procession. Presently the movement is southwards and this will continue for the next decade whence it will turn northwards until it reaches the northernmost promontory of the island. The sphere will be held at this point while the arctic circle takes a brief jaunt over the sea and moved south again on it’s return. The following turn to north is it’s last for 20,000 years.»

Declaração do colectivo artístico responsável por este projecto.

artic circle globus et orbisO paupérrimo panorama que ensombra a grande maioria da imprensa nacional, aliado a algum do exotismo intrínseco aos meus interesses pessoais, contribui para que eu procure informações acerca da actualidade internacional em locais um pouco inusitados, eu sei. Por norma, consulto com alguma regularidade a página do excelente The Reykjavík Grapevine. Como o nome indica, encontra-se sediado no belo país que é a Islândia. É que não tarda nada o calor começa a “apertar” e, por consequência, eu começo a sonhar acordado com destinos bem mais fresquinhos e aprazíveis.
Deixar-me-ei de devaneios  de forma a passar imediatamente ao assunto que me faz redigir esta entrada.
Numa notícia lida no referido jornal, fiquei a saber que já saíram os resultados oficiais do concurso efectuado para apresentação de uma proposta que visasse a criação de um novo ponto de referência do Circulo Árctico. De acordo com o anúncio efectuado pelo Iceland Design Centre, a proposta vencedora foi o projecto conjunto de Kristinn E. Hrafnsson e do Studio Granda. O monumento “Orbis et Globus”, de seu nome, consiste numa esfera de basalto com três metros de diâmetro e irá ser colocado na ilha de Grímsey.
Agora que o projecto vencedor foi seleccionado, o próximo passo a dar é trabalhar com os partidos islandeses mais representativos para que o mesmo se torne uma realidade, diz-nos o Iceland Design Centre.
Para já esta proposta pode, pelo menos, contar com o meu apreço bem como com o meu entusiasmo.

Alea iacta est!