Mattin e Miguel Prado na FBAUP

7 de Março 2014, 15h30 na Aula Magna da FBAUP 

word-of-mouth-722x1024Mattin e Miguel Prado conheceram-se em A Coruña em 2007 tendo, desde então partilhado o mútuo e longo interesse pela voz no contexto da improvisação e do noise. Desde 2011, desenvolvem o projecto “Evacuation of the Voice” onde se incluem o LP a solo de Mattin “Object of Thought” e o texto de Miguel Prado “Geotraumatical Evacuation of the Voice”.
A necessidade da “evacuação da voz” surge como processo inseparável do desmantelamento da “face” enquanto representação do “eu” veiculada pelo capitalismo. Os artistas propõem-nos dez sessões de uma hora (das quais se realizam agora cinco) onde irão tentar, performativamente, evacuar a voz dos seus corpos, recorrendo a um processo de “despersonalização subjectiva”. O distanciamento do pensamento com a recusa de “expressões idiomáticas estéticas de carácter genérico” surge como forma de tentar “entender as nossas condições psicológicas, fisiológicas e neurobiológicas a partir duma perspectiva externa”.
Estas sessões serão gravadas e posteriormente publicadas juntamente com a investigação teórica produzida, possibilitando a sua análise futura.

Natural do País Basco, Mattin é um músico principalmente associado à improvisação e ao ‘noise’.
A sua exploração do som geralmente baseia-se na experimentação radical dos limites de oposições como aquelas entre noise e silêncio ou o digital e o físico. Desenvolveu um interesse particular pelo uso de software livre para improvisação e recurso a técnicas semelhantes às usadas pelos artistas fluxus (como serrar a caixa do computador ou atacar fisicamente o computador).
Mattin estudou Artes Visuais e História da Arte em Londres e é também realizador de filmes, normalmente curtas metragens de reflexão ou intervenção política.
Tem igualmente desenvolvido um extenso trabalho teórico sobre improvisação, software livre e anti-copyright. É co-editor do livro “Noise & Capitalism”, entre outras publicações.
Colabora regularmente com outros músicos ligados à improvisação electroacústica e ao noise, como Radu Malfati, Eddie Prévost, Taku Unami, Junko, Tony Conrad, duma extensa lista. É membro de La Grieta, Deflag Haemorrhage/Haien Kontra e da banda punk Billy Bao.
Dirige a editora W.M.O./r e a netlabel Desetxea.

Miguel Prado é um músico, compositor sediado em La Coruña. Desde meados dos anos 2000 tem-se apresentado regularmente em contextos de improvisação quer a solo quer em colaborações como com Michel Henritzi, Michael Pisaro e Stephen O’Malley. Tem-se dedicado igualmente ao trabalho de investigação teórico e de provocação, nomeadamente com o envolvimento no anti-copyright e plagiarismo enquanto dialéticas de movimento. A sua composição “Comedy Apories” foi apresentada em sessões de 10 horas por dia no contexto da exposição “Veraneantes” no museu MARCO em Vigo.